Mengem da 36ª Assembleia da CPAL

Publicado: Segunda, 12 Novembro 2018
1
2
socialshare
0
s2sdefault

Queridos companheiros e companheiras na Missão:

Os Provinciais da América Latina, reunidos nos dias 06 a 10 de novembro de 2018 no Centro de Espiritualidade Cristo Rei (CECREI), de São Leopoldo, perto de Porto Alegre, Brasil, enviamos-lhes uma saudação fraterna. Partilhamos com vocês a memória do que foram nossas conversas neste belo espaço das "terras gaúchas".

A reunião teve três grandes momentos: o primeiro com os membros das equipes de formação de nossa Conferência, o segundo centrado no discernimento das Preferências Universal Apostólicas a serem apresentadas pela CPAL ao P. Geral e o terceiro para tratar assuntos vários, apresentados pela equipe executiva da Conferência. Participaram conosco os PP. Gabriel Ignacio Rodríguez S.J. e Claudio Paul S.J., Assistentes do P. Geral para a América Latina, o P. David Romero S.J., Delegado do Provincial do Brasil para a preferência Amazônia,e o P. Chris Llanos, S.J., Superior Regional da Guyana e Jamaica, e o P. Agbonkhianmeghe Orobator SJ, presidente da Conferência dos Provinciais da África e Madagascar. Por dificuldades de visto, não puderam acompanhar-nos os PP. David Pantaleón S.J. (Cuba) e Jean Dennis Saint Felix S.J. (Haiti).

O primeiro dia de nossa reunião nós o dedicamos a participar no último dia do Encontro de Formadores organizado pela CPAL com os membros de todas as casas de formação da América Latina e Caribe. Ouvimos o relatório dos dias de trabalho previo (no quais participaram três Provinciais) sobre o uso dos meios de comunicação e das redes sociais nas casas de formação, e sobre os desafios comuns para uma maior e melhor integração do afetivo-sexual em nossa vida consagrada; tudo isso a partir de valiosos aportes proporcionados por dois companheiros nossos: os PP. Kevin Flaherty S.J. (UMI/PER) e Rufino Meana S.J. (ESP). Foi un encontro interessante e enriquecedor; valeu a pena escutar as preocupações e conquistas das equipes de formação e partilhar a esperança que todos temos colocado em nossos companheiros mais jovens. O dia terminou com um saboroso e abundante "churrasco gaúcho" muito agradecido por todos.

No segundo dia da assembleia trabalhamos os relatórios da Presidência e dos setores e redes apostólicas, bem como da administração da CPAL. Continua nos surpreendendo o volume de trabalho realizado e a generosa dedicação dos companheiros da equipe executiva. À tarde nós a dedicamos a conversar com o P. Rafael Velasco S.J. (ARU), coordenador da Rede Latino Americana de Paróquias Jesuítas sobre o estado atual, as necessidades e os desafios da rede. À noite o P. Juan Carlos Morante S.J., provincial do Peru, apresentou-nos a situação atual das investigações pelo assassinato do P. Carlos Riudavets S.J., em agosto passado, na Amazônia peruana. As investigações continuam e se espera que resultem no esclarecimento do que aconteceu e na aplicação da justiça.

Em seguida começamos um terceiro tempo de nossa Assembleia: com a valiosa e serena orientação de nossos irmãos, os PP. Álvaro Pimentel S.J. (BRA) e Hermann Rodriguez S.J. nos dedicamos durante quase dois dias e meio ao discernimento das Preferências Apostólicas Universais. Este trajeto começou com uma apresentação/análise de alguns dos grandes desafios atuais e futuros para a Missão da Companhia, e as preferências propostas por cada Província. O P. Geral nos havia solicitado não apenas fazer uma sistematização das contribuições das Províncias, mas realizar o nosso próprio discernimento; para isso nos ajudou enormemente a metodologia do ´diálogo espiritual´: a escuta atenta, aberta e indiferente do que o Espírito fala aos membros do grupo que discerne. Foi uma trajetória bonita ao final da qual formulamos cinco preferências que serão a nossa contribuição para o discernimento de toda a Companhia, e que o P. Geral apresentará ao Papa, provavelmente no primeiro trimestre de 2019. Os enunciados das cinco preferências que s]ao fruto do discernimento da CPAL são os seguintes:

  1. Migrantes, refugiados, pessoas deslocadas e vítimas de tráfico de pessoas. Comprometemo-nos a "acolher, proteger, promover e integrar os migrantes, refugiados e as vítimas do tráfico humano" (Discurso do Papa Francisco aos participantes do Fórum Internacional de Migração e Paz, 21/02/2017).
  2. Cuidar da casa comum e promover a justiça socioambiental. Comprometemo-nos na missão de trabalhar na promoção de uma ecologia integral como expressão do amor misericordioso de Deus para com toda a criação, com ênfase especial sobre a Amazônia e a bacia do Congo, biomas que interessam de maneira eminente todo o planeta.
  3. Formação integral dos jovens. Fortalecer o nosso compromisso com a formação integral dos jovens através dos diversos serviços apostólicos da Companhia, colaborando maneira intersetorial e interprovincial para promover a sua liderança na construção de sociedades mais justas e fraternas e de uma Igreja sinodal (cfr. Sínodo da juventude 2018).
  4. Espiritualidade e Exercícios Espirituais. Oferecer com maior audácia e criatividade a riqueza da nossa espiritualidade para ajudar as pessoas e as comunidades a saírem ´do seu próprio amor, desejo e interesse´ (EE.189).
  5. Colaborar na construção de um mundo mais justo, mais democrático e ambientalmente sustentável. Comprometemo-nos a formar-nos intelectualmente de maneira profunda e séria, e a colaborar com os outros na formação de novas lideranças que contribuam para a construção de comunidades reconciliados, mais fraternas, e uma aldeia global mais justa e democrática.

No quarto dia da nossa assembleia terminamos a jornada ouvindo o P. Orobator S.J., Presidente da JESAM, que apresentou os desafios apostólicos e as perspectivas de futuro das províncias membros da Conferência da África e Madagascar. Por ser uma Conferência com uma grande maioria de jesuítas jovens, a sua principal tarefa é a formação. A sua presença entre nós: agradável, amiga e provocadora, nos fez sentir mais fortemente a vocação universal de nossa missão.

O último dia, além de afinar o discernimento sobre as Preferências Apostólicas Universais, iluminadas pela última carta do P. Geral e orientados pelo P. Cristián Del Campo S.J. (CHL), nós o dedicamos a conversar sobre as aprendizagens obtidas até o momento na tarefa de velas em todos os nossos ministérios pela segurança e integridade dos menores e adultos vulneráveis. Esta cultura do cuidado, forjadora de ambientes saudáveis e seguros, é um compromisso permanente do corpo apostólico para que o nosso serviço tenha credibilidade e seja evangelicamente eficaz.

Durante a 36ª Assembleia da CPAL tivemos particularmente presente a situação da Venezuela, da Nicarágua e de Honduras; de maneira especial esteve presente em nossa trajetória o massivo movimento migratório de irmãos de vários países da América Central, que com pleno direito, buscam uma saída para a violência e a pobreza que enfrentam diariamente. Solidarizamo-nos com esses povos, agradecemos aos companheiros e companheiras da Rede de Jesuítas com Migrantes e o Serviço Jesuíta a Refugiados a sua generosidade e os seus trabalhos. Vocês são o corpo apostólico da CPAL nas estradas, acompanhando o povo que sofre! Comprometemo-nos a colaborar e a continuar acompanhando em suas necessidades.

Agradecemos a toda a Província do Brasil, na pessoa do Provincial, P. .João Renato Eidt S.J. e do seu Sócio, Irmão Eudson Ramos S.J., pela sua hospitalidade. Agradecemos também a toda a equipe do CECREI que nos recebeu e atendeu com dedicação inestimável. O Senhor da Vida e Nossa Senhora Aparecida saberão recompensar sua enorme generosidade.

Fraternalmente em Cristo.

+ Noticias